Arquivo

Posts Tagged ‘certificação’

Certificações em T.I. valem a pena?

Esse é assunto que sempre gera polêmica. A maioria dos profissionais de T.I. se sente atraída em tirar uma ou mais certificações como forma de comprovar sua competência, mas por qual motivo percebe-se um avanço significativo no número de especialistas das áreas de recrutamento e coaching que não aconselham a busca desenfreada por esse tipo de teste?

A verdade é que o mercado mundial de certificações está cada vez mais aquecido e o diploma de proficiência em alguma área de T.I. pode ser considerado um diferencial pela maioria das empresas. Há inclusive algumas seleções que colocam como critério obrigatório possuir um ou mais títulos para concorrer à vaga.

Obviamente que essas duas visões de carreira geram uma grande dúvida no profissional: vale a pena se dedicar aos estudos e realizar as provas ou o diferencial de um empregado vai estar em outras habilidades?

Leia mais

50 dicas práticas para o exame OCJP Java 6

Motivado por ter passado no exame da SCJP recentemente, publico abaixo 50 dicas práticas para o exame da versão 6. Elas foram retiradas e adaptadas do livro  Certificação SUN para Programador Java 6, de Kathy Sierra e Bert Bates, adicionadas em muitos casos de exemplos e comentários úteis.

  1. Saiba tudo sobre controle de acesso para o exame. Haverá uma boa quantidade de perguntas para as quais você deverá usar o seu conhecimento sobre o assunto. Quando vir uma questão com lógica complexa, certifique-se de olhar os modificadores de acesso primeiro;
  2. Procure questões com uma declaração de método que termine com ponto-e-vírgula em vez de chaves. Se o método estiver em uma classe – e não em uma interface -, então tanto o método como a classe devem ser marcados como abstract;
  3. Quando pensar em acesso padrão (default), pense em restrições de pacote, sem exceções. Mas quando pensar em protected, pense em pacote + filhos;
  4. Procure por classes concretas que não forneçam implementações para métodos abstratos da superclasse;
  5. Enums fora de uma classe só podem ser declarados com acesso public ou default, assim como uma classe não interna;
  6. As chamadas de métodos polimórficos se aplicam somente a métodos de instâncias;
  7. Procure classes que afirmam implementar uma interface, mas não fornecem as implementações de método corretas. A menos que a classe de implementação seja abstract, ela terá que fornecer implementações de todos os métodos definidos na interface;
  8. Lembre-se: um método static de uma classe não pode acessar um membro – método ou variável – não estático (de instância) de sua própria classe;
  9. Procure perguntas que usem números onde os booleanos seriam obrigatórios. Você pode ver uma avaliação de instrução if que use um número, como na linha a seguir:
int x = 1;
if (x) { } // Erro do compilador

Leia mais