Arquivo

Archive for julho \06\UTC 2012

VRaptor 3: aprenda em 5 minutos

Visão Geral

Esses dias me aprofundei nos estudos de VRaptor. Realmente o framework tem muita coisa legal e para aqueles que são acostumados a trabalhar com bibliotecas component-based como eu (no caso, programo em JSF diariamente), torna-se um desafio empregar uma abordagem action-based tão simples como a versão 3 propõe.

O VRaptor tem a grande vantagem de encapsular as principais classes básicas de Servlets, como HttpServletRequest, HttpServletResponse e Session e através dele a lógica de negócio do sistema é tratada por Controllers que o desenvolvedor deve criar. Para entender como funciona esse mecanismo, a imagem abaixo mostra o fluxo da requisição do usuário.

Passos da Requisição no VRaptor

Passos da Requisição no VRaptor.

Adaptado de http://blog.caelum.com.br/entenda-os-mvcs-e-os-frameworks-action-e-component-based/

Podemor ver que a requisição passa pelo Front Controller do framework que a redireciona para o Controller (anotado com @Resource) criado pelo desenvolvedor.

Características

Convenção sobre Configuração / Controllers

O VRaptor foca em simplicidade, portanto o desenvolvedor deve se acostumar com uma característica chave da tecnologia: a convençao sobre configuração. Por esse motivo, muitas das decisões a respeito de alguns aspectos do sistema são retiradas das mãos dos programador, o que na verdade tem um preço, já que limita um pouco algumas práticas que se planeje fazer, porém tem a vantagem de facilitar a padronização do código e evita as costumeiras configurações em arquivos XML vistas em outros frameworks.

Leia mais